Desculpe, não possível recuperar os dados no momento.

Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/u249421785/domains/celulosepapel.com.br/public_html/wp-content/plugins/cotacao-moedas-hoje/public/class-cmh-bcb-public.php on line 126
Celulose e Papel

Ferrovias e celulose

Celulose sobre trilhos

Pelo menos 30 mil empregos devem ser gerados com a implantação das duas ferrovias já autorizadas em Mato Grosso do Sul dentro do MINFRA (Ministério da Infraestrutura). Os projetos se referem a Nova Ferroeste, que vai ligar Maracaju a Dourados, com 76 km; e para a Eldorado Brasil Celulose, de 89 km, que construirá uma ferrovia entre Três Lagoas e Aparecida do Taboado, orçada em R$ 890 milhões. Juntos, somente estes dois empreendimentos logísticos terão investimentos próximos de R$ 5 bilhões e a previsão é de que as obras comecem entre 2023 e 2024.

De acordo com o secretário da SEMAGRO (Secretaria de Meio Ambiente, Produção, Desenvolvimento Econômico e Agricultura Familiar), Jaime Verruck, perspectivas são bastante animadoras, pois um dos ganhos com as ferrovias do Mato Grosso do Sul, através das leis e autorizações, é a garantia de quase R$ 5 bilhões de investimentos. “É praticamente R$ 1 bilhão, somente no trecho de Três Lagoas a Aparecida do Taboado. Já nos 345km do trecho sul-mato-grossense da Nova Ferroeste, que vai de Maracaju até Mundo Novo, são mais de R$ 4 bilhões, totalizando assim, R$ 5 bilhões a serem investidos nos próximos anos no Mato Grosso do Sul”, informa Jaime.

Para o titular da SEMAGRO, a reativação da malha ferroviária estadual é uma realidade já que as obras já estão protocoladas no MINFRA. “Esse foi um grande avanço do marco legal das ferrovias, desregulamentando e criando novas possibilidades de investimentos privados”, completa Jaime.

Nota da REFERÊNCIA CELULOSE & PAPEL, edição 54.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *