Olhar estratégico

GRANDES PLAYERS DO MERCADO SE MOVIMENTAM PARA 2020

A fusão da Fibria e Suzano no ano passado criou uma nova gigante da celulose, com valor avaliado em US$ 14,5 bilhões. As repercussões dessa mudança para o mercado de celulose são uma nova Suzano e uma nova forma de avançar no mercado externo.

A nova fase foi anunciada pelo presidente da Suzano, Walter Schalka, que afirmou que a empresa está considerando novos investimentos em celulose, um mercado cuja demanda cresce 2,5% ao ano. “Isso pressupõe desapego do passado.

Fizemos uma combinação de executivos e vamos olhar de forma desapegada para o passado para fazer uma companhia ainda melhor no futuro”, disse.

No final do ano passado a Suzano anunciou o projeto de construção de uma nova fábrica no Espírito Santo, no município de Cachoeiro de Itapemirim, além da modernização da planta de Aracruz e expansão do monocultivo de eucalipto para abastecer as indústrias. No total, a empresa investirá R$ 930 milhões no Estado, sendo R$ 531 milhões para expansão da base florestal com o plantio de novas florestas no Espírito Santo, por meio de aquisição ou arrendamento de áreas rurais, plantios, conduções e tratos culturais.

Veja mais aqui.