CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE

MEIO MILHÃO DE HECTARES SERÃO CONECTADOS POR INICIATIVA QUE PROMOVERÁ A CONSERVAÇÃO DOS BIOMAS CERRADO, MATA ATLÂNTICA E AMAZÔNIA A LONGO PRAZO

Suzano divulgou sua meta de longo prazo para a conservação da biodiversidade, durante a realização de seu primeiro ESG Call. A companhia se compromete, até 2030, a conectar meio milhão de hectares de áreas prioritárias para a preservação nos biomas: Cerrado, Mata Atlântica e Amazônia – o que equivale a quatro vezes a cidade do Rio de Janeiro. Para definir o seu compromisso, alinhado às melhores práticas e políticas nacionais e internacionais, no último ano foi realizado, um processo colaborativo que contemplou uma consulta a mais de 50 stakeholders nacionais e internacionais, incluindo ONGs, setores público e privado e academia. Essa ação, voltada especificamente para identificar oportunidades e desafios de preservação da biodiversidade, foi realizada em parceria com o Instituto Ecofuturo – organização sem fins lucrativos mantida pela empresa e que atua há duas décadas com conservação ambiental.

Como resultado desse amplo trabalho, a companhia identificou que sua mais importante contribuição seria para a reversão da fragmentação de habitats, uma vez que esta é uma das principais ameaças à perda de biodiversidade no Brasil e no mundo. Assim, a partir das áreas prioritárias para conservação definidas pelo MMA (Ministério do Meio Ambiente) e das Unidades de Conservação de proteção integral, de acordo com o SNUC (Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza), foram identificados os principais alvos de remanescentes naturais fragmentados a serem conectados.

Em seguida, definiu-se as rotas de ligação por meio da implantação de corredores de biodiversidade. “Assumimos um grande desafio, que pressupõe o engajamento de diferentes atores, já que nossa meta não contempla apenas áreas de propriedade da empresa.

Veja mais aqui.