Terra da celulose

Mescla entre conhecimento técnico da indústria de celulose e papel com a indústria têxtil alavanca setor na Finlândia

Com novas demandas de sustentabilidade em processos produtivos, as indústrias enfrentam desafios e oportunidades de revolucionar seus processos para reduzir o impacto ambiental. Uma delas é a indústria têxtil, que pode ter na Finlândia o retrato de um futuro mais sustentável e ecologicamente consciente. As informações são do relatório de Ecossistemas de Inovação em uma Bioeconomia Sustentável – Um estudo de caso finlandês para a Ocde (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico).

As inovações na indústria têxtil finlandesa estão baseadas em pesquisas extensas e têm como retorno possibilidades de sucesso econômico. O estudo de caso da Business Finland conduzido pela Gaia Consulting, revela que as histórias de sucesso finlandesas de têxteis de base biológica se baseiam em forte presença de P&D. No entanto, a falta de tecnologia de médio porte e provedores de soluções, bem como as decisões de investimento para as plantas de testes representam desafios para aumento de comercialização e escalonação da produção.

Novas aplicações

Na Finlândia, a bioeconomia tem um histórico de basear-se principalmente em estruturas que dependem do setor florestal. Assim, desenvolvimentos contínuos estendem a cadeia de valor da biomassa florestal a novas aplicações no setor têxtil à base de celulose; por isso, desenvolvimentos diversificam a cadeia de valor da celulose para novas áreas de negócios onde o valor agregado é maior.

Um desses mercados de alto potencial em valor agregado é o biotêxtil: estimativas apontam que a indústria têxtil de biotecidos alcançará 47,7 bilhões de euros em 2020.

Veja mais aqui.