Celulose e Papel

Ecológico e Consciente

Aparelhos podem ser descartados como lixo domésticos regular após o uso

ntrando em uma tendência global de substituição de materiais a base de petróleo por alternativas mais sustentáveis, motivado por preocupações ambientais, a Panasonic adotará um plástico derivado de plantas para produzir refrigeradores, aspiradores de pó e outros eletrodomésticos: a fabricante japonesa de eletrônicos desenvolveu um plástico composto de 55% de fibras de celulose e com durabilidade adequada para ser usado em seus produtos. 

De acordo com a Panasonic, a empresa também conseguiu produzir fibras de celulose derivadas de plantas que utilizavam a “sensação natural do material” usando seus sistemas de moldagem originais. A resina, que é branca, permitindo que seja tingida de qualquer cor, é mais forte que o plástico convencional.

“Como o material compósito é branco, a linha de coloração é ampla. O design natural, como a textura de madeira, também é possível, aproveitando a tecnologia proprietária de moldagem”, destacou a companhia.

A Panasonic afirma ainda que o material de resina com mais de 50% do conteúdo vegetal raramente é usado para fins comerciais. Como as fibras vegetais são macias, moldar o material para as partes do aparelho foi um desafio. 

O desafio está nos custos de produção do novo material, que são muito superiores aos dos plásticos comuns. A Panasonic planeja trabalhar com outras empresas para desenvolver mais usos para o material, como bandejas de alimentos descartáveis. Se seu uso se expandir e os custos forem derrubados, a empresa considerará a expansão da capacidade de produção. A companhia já produziu um aspirador sem fio usando fibra de celulose. O produto foi lançado no mercado em agosto, no Japão.

Veja mais aqui.