Da mesa à farmácia

Novas tecnologias surgem a cada dia; na indústria de celulose, aumento de produção, redução no consumo energético, maior segurança para os trabalhadores e menor impacto ambiental são objetivos comumente buscados. A surpresa, porém, é que por mais incomum que possa parecer, a celulose também pode estar presente em compostos alimentares ou ainda em na indústria farmacêutica. Confira a seguir.

Saúde e celulose

Um dos campos da medicina contemporânea está relacionado à engenharia de tecidos: o uso de células vivas para reparar ou substituir tecidos estruturais, como vasos sanguíneos, ossos, cartilagens, etc. Um dos componentes principais são os hidrogéis poliméricos: eles são usados ​​como sistema de entrega de células vivas, atuando como uma camada protetora para conter as células para transplante em pacientes para substituir células doentes ou danificadas.

Existem atualmente dois tipos de hidrogéis: sólidos e líquidos. No entanto, ambas as formas têm características mutuamente exclusivas que limitam seu uso. Enquanto os hidrogéis sólidos fornecem um ambiente de proteção para novas células, eles podem resultar em trauma de implantação cirúrgica.

Veja mais aqui.