Principal encontro para o setor em toda América Latina alia geração de negócios e atualização profissional.

Entre 31 de maio e 2 de junho São Paulo recebeu o Tissue World São Paulo; Única feira de negócios dedicada especificamente à indústria de papel tissue voltada à higiene pessoal no Brasil e na América Latina. Pelos corredores do evento, diversas empresas comprovam a sofisticação da indústria, trazendo tecnologia de ponta em diversos segmentos.

Novas propostas

Um dos grandes destaques, foi a BTG que aproveitou a oportunidade para aprofundar sua proposta de valor para os fabricantes de Tissue na América Latina. Para a empresa, novas oportunidades de negócios se iniciaram no evento.

“O mercado de Tissue está em fase de expansão no Brasil e América Latina, atraindo investimentos em novas capacidades e tecnologias, alavancando o setor de papel e celulose como um todo”

“A Tissue World São Paulo, em sua segunda edição no Brasil, consolida-se como um importante fórum de discussão para o setor e uma excelente oportunidade para estreitar o relacionamento com os players do mercado”

analisa Christian Giovannoni.

 

Mais Tissue

Companhias como a Adecol mostraram preparo para ganhar mais mercado no segmento de papéis tissue; a empresa apresentou uma linha completa adaptada para o tissue e para as máquinas mais rápidas do segmento.

“As aplicações vão desde tubete e transferência até rabicho e laminação”

explicou o gerente comercial da Adecol, Fernando Cardoso. A meta da companhia é possuir 30% do mercado até o início de 2018.

 

Tecnologias de sucesso

Marcos Scheil Gonçalves, gerente de Vendas da Voith, falou sobre o bem sucedido caso da tecnologia TissueLev, desenvolvida pela empresa para atender a Duni/Rexcell, líder no mercado sueco.

“A ideia era criar um novo produto que fosse ecologicamente sustentável, cujo processo pudesse aumentar a produtividade das máquinas”

A criação, que obteve sucesso, aumentou a velocidade das máquinas da Duni/Rexcell em 20%, além de reduzir o número de fibras, tornando o material 1g mais leve.

 

Oportunidades para o país

Já Thomas Scherb, diretor da Divisão Tissue da Andritz Brasil, explicou que o país é o maior produtor de eucalipto no mundo – árvore considerada matéria-prima nobre para o segmento. Para ele,

“o futuro pede máquinas tissue integradas com a planta de celulose”

Um dos destaques da empresa foi a apresentação dos detalhes da máquina PrimeLineST W22; a maior máquina yankee a vapor do mundo.

A Fábio Perini trouxe a tecnologia Constellation; lançada em meados de 2015, em apenas 18 meses de existência, mais de 50 linhas foram vendidas nos 5 continentes.

Mas o grande diferencial está no serviço de suporte remoto Weareable; Enquanto o suporte técnico está sempre disponível aos clientes, a realidade torna difícil enviar, em tempo hábil, um técnico a cada local, independente da distância.

Porém, a tecnologia muda essa realidade; basta uma conexão com a internet e o capacete Weareable utiliza capacidades audiovisuais e bidirecionais; permitindo que um técnico examine remotamente o problema e ofereça uma solução em tempo real.

Química

Uma das líderes mundiais em especialidades químicas, a Evonik também apresentou durante o Tissue Wolrd.

“Nosso portfólio atende às necessidades das indústrias nacionais e da América do Sul, pois possui muitas variações. Podemos oferecer ao cliente a escolha do melhor produto, conforme a aplicação, bem como o desenvolvimento de soluções exclusivas”

Conclui Edson Factori, gerente de Vendas Regional América do Sul.

Gostou da matéria? Continue lendo assinando a revista Celulose&Papel aqui.

Post anterior

Novos horizontes

Próximo post

This is the most recent story.

Diego

Diego

Sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *