Entrevista

Tecnologia e eficiência

Rubens Perez

Diretor de Desenvolvimento de Negócios Papel & Celulose da Veolia Water Technologies

Eficiência é fundamental para o crescimento de uma grande indústria. E a forma como ela trabalha com os recursos disponíveis irá determinar o nível de sucesso em um mercado cada vez mais competitivo.  A Veolia Water Technologies é especializada em tecnologias e projetos de design e construção para tratamento de água e efluentes e, em um contexto cada vez mais global, procura oferecer soluções específicas para que este recurso não seja desperdiçado. Em entrevista à Revista CELULOSE & PAPEL, Rubens Perez, diretor de Desenvolvimento de Negócios Papel & Celulose da Veolia Water Technologies, reflete sobre posicionamento dos grandes players do mercado de celulose e papel, novas tecnologias disponíveis para a indústria e sustentabilidade. Confira:

Hoje quais os principais escopos de soluções ofertados pela Veolia para a indústria de celulose?

A Veolia tem a liderança reconhecida no tratamento de águas e efluentes no setor de celulose e papel, com mais de mil projetos ao redor do mundo. Atuamos tanto na construção de novas instalações, quanto na atualização de uma estação já existente. Entre as principais soluções para a indústria de celulose estão: evaporação de licor negro/alta concentração de sólidos; remoção de cloreto (sistema CRP); tratamento anaeróbio de efluentes; tratamento biológico aeróbio; clarificação primária e secundária; tratamento terciário; desidratação de lodo; entre outros.

Qual seu alcance no mercado brasileiro?

O Brasil é um mercado com imenso potencial, tendo em vista que o país deve se tornar o segundo maior produtor mundial de celulose, atrás apenas dos EUA (Estados Unidos da América), com o início da operação da nova fábrica da Klabin e com a expansão da Fibria, em Três Lagoas, no fim de 2017. A capacidade instalada brasileira subirá de 17,4 milhões de t (toneladas) em 2015 para 20,9 milhões anuais, superando China e Canadá.

A Fibria, por exemplo, escolheu a Veolia para implantar três unidades de tratamento no projeto Horizonte II de expansão da fábrica de Três Lagoas (MS). Como funcionam estes sistemas?

Atuando exclusivamente neste mercado por mais de 50 anos, a Veolia vai projetar e construir as três unidades de tratamento utilizando seus processos patenteados. A primeira usará osmose reversa para produção de água desmineralizada, uma tecnologia para polimento de condensado e outra  para produção de água de selagem com a capacidade de 16.600 m³/d (metros cúbicas por dia) de água desmineralizada para caldeiras. A segunda unidade contará com o processo de clarificação Actiflo de alta taxa, combinado com filtros TGV para tratar 185 mil m³/d de água bruta antes de ser utilizada no processo de produção de celulose. Finalmente, os efluentes da fábrica de celulose vão para uma terceira unidade de tratamento, na qual o processo AnoxKaldnes BAS (MBBR + lodo ativado) tratará 166 mil m³/d de águas residuais. Esta última unidade será projetada com supervisão da divisão de negócios da Veolia, a Aquaflow-FinIândia, que é especializada em tratamento de efluentes para indústrias de papel e celulose.

Gostou da matéria? Continue lendo assinando a revista Celulose&Papel aqui.

Post anterior

Configuração, reestruturação e mercado de trabalho do setor de celulose e papel no Brasil

Próximo post

Cartas de Dezembro

admin

admin

A Revista CELULOSE & PAPEL se consolidou no mercado brasileiro em busca das necessidades principais de informação. A cada edição abordamos o que há de mais atual em tecnologias, produtos e serviços voltados para o desenvolvimento do setor de celulose e papel.

Sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *